ABORDAGEM CINEMÁTICA SOBRE O CONFORTO EM VIAGENS DE TRENS DO METRÔ DE SÃO PAULO A PARTIR DE IMAGENS OBTIDAS COM UM DRONE

  • Rogério Rodrigues de Souza Fatec
  • Samuel Kioshi Tuzi
  • Carlos Eduardo Almeida
  • Gabriel Rodrigues Lima

Resumo

A aceleração e suas variações súbitas podem gerar desconforto nos meios de transportes públicos. Neste artigo, procurou-se verificar as condições de velocidade e aceleração em percursos de trens do metrô de São Paulo e comparar com os valores da literatura associados à condição de conforto. Foi utilizado um drone para filmagens aéreas da movimentação de trens do metrô de São Paulo e a partir da análise das imagens obtidas, foram calculadas aceleração média, velocidade máxima e taxa de aceleração. Para a velocidade média das composições os dados foram coletados no interior da própria composição. O resultado da aceleração média foi compatível com o valor da literatura e os valores das taxas de acelerações apresentaram superiores aos considerados para situações de conforto para uma viagem em pé nessas composições analisadas. Este resultado implica que soluções devem ser implementadas para uma viagem mais confortável e segura.

Biografia do Autor

Rogério Rodrigues de Souza, Fatec

Professor de ensino superior nas Fatec´: Itaquera, Mauá e Tatuapé.

Bacharelado e Licenciatura em F´ísica

Mestrado em Astrofísica

Samuel Kioshi Tuzi

Graduando do curso de Tecnologia em Transporte Terrestre pela Fatec Tatuapé

Carlos Eduardo Almeida

Graduando do curso de Tecnologia em Transporte Terrestre pela Fatec Tatuapé

Gabriel Rodrigues Lima

Graduando do curso de Tecnologia em Transporte Terrestre na Fatec Tatuapé

Publicado
2022-05-21