DA ESCOLA REGULAR À ESCOLA INTEGRAL: A CULTURA E A INDISCIPLINA NA ESCOLA

  • Robson Gomes da Cruz IFSP/SPO

Resumo

Os problemas com indisciplina na escola pública são recorrentes e tiram o sono de muitos pais e professores, mas será que existem formas capazes de conter essa indisciplina? Este artigo visa correlacionar a indisciplina na escola regular (meio período) e na escola integral — observadas durante o período de estágio — ao desenvolvimento de atividades culturais nestes ambientes. Para estabelecer esta relação e legitimá-la foram utilizados para análise das observações efetuadas a teoria sobre os motivos da indisciplina presentes no texto “A indisciplina e a escola atual”, de Julio Groppa Aquino (1998), e alguns artigos e textos que defendem que as atividades artísticas e culturais, dentro do ambiente escolar, contribuem com a diminuição da indisciplina. E, baseando-nos nessa análise, concluímos que as intervenções artísticas e culturais, indubitavelmente, possuem eficácia para o contingenciamento da indisciplina na escola, pois, das duas escolas estaduais observadas durante o Programa de Residência Pedagógica ligado ao IFSP/SPO — Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo/Câmpus São Paulo — e mantido pela CAPES, no período entre junho de 2018 e dezembro de 2019, a escola de tempo integral, por dispor de mais tempo para estes tipos de atividade, apresenta um nível de indisciplina mais baixo.

Publicado
2020-09-07
Seção
Letras - Práticas e Residência Pedagógica