APRENDER A ARGUMENTAR: O TRABALHO COM GÊNEROS ORAIS COMO SUPORTE AOS GÊNEROS DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVOS ESCRITOS

  • Felipe Nogueira de Sousa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Resumo

Apresentamos um relato de experiência da aplicação de uma sequência didática com duas turmas de 3º ano do Ensino Médio em uma escola estadual na cidade de São Paulo durante o programa de Residência Pedagógica. Trabalhamos o gênero dissertativo-argumentativo, como exigido pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), tendo como suporte gêneros orais, como vídeos de palestras e de entrevistas jornalísticas. Baseamo-nos no trabalho de Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004), que justificam a importância dos gêneros orais em sala de aula. Concluímos que o trabalho com gêneros orais formais públicos pode ser um grande auxílio à escrita do gênero dissertativo-argumentativo, em vista da necessidade de se desenvolver, na forma escrita, argumentos que são levantados de forma espontânea em debates orais.

Biografia do Autor

Felipe Nogueira de Sousa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo
Licenciando em Letras
Publicado
2020-11-29
Seção
Letras - Práticas e Residência Pedagógica